14/12/12

Coluna de som "Cygnus II"

Baseada na coluna Cygnus, trata-se de uma coluna de duas vias com características semelhantes. O crossover é essencialmente o mesmo, mas os altifalantes e a caixa são diferentes. Com uma potência nominal de 50W, é uma coluna adequada para salas de tamanho médio. A sua resposta em frequência mais alargada, de 33Hz a 22KHz, confere-lhe maior dinâmica. Esta coluna peca por ter uma sensibilidade relativamente baixa, de apenas 87dB. Não obstante, a qualidade de reprodução é muito boa.

Parâmetros de funcionamento:
- P nom. = 50W
- P pc. = 80W

Características eléctricas:
- R = 6,4Ω
- Z nom. = 8Ω

Características sonoras:
- Resposta em frequência (-10dB): 33-22000Hz
- Sensibilidade (1W/1m): 87dB

O circuito é simples. Emprega um crossover de 2ª ordem com alinhamento Linkwitz-Riley e ponto de transição a 4,1KHz, sendo que este é constituído pelas bobinas L1 e L2 e pelos condensadores C1 e C3. Uma célula de Boucherot, constituída pelo resistor R1 e pelo condensador C2, corrige a impedância do mid-bass para que não haja desvios na resposta do crossover. Os resistores R2 e R3 constituem uma rede de atenuação (L-pad), cujo propósito é baixar a sensibilidade do tweeter. Os altifalantes aqui especificados foram escolhidos por terem uma boa relação qualidade/preço. Não aconselho o uso de outros altifalantes, dado que o crossover e a caixa foram calculados de acordo com os parâmetros Thiele/Small destes.

Lista de componentes:
C1/3 – Condensador Visaton ELKO spez. 2,2µF;
C2 – Condensador Visaton ELKO spez. 10µF;
FTE1 – Mid-bass Visaton W 130 S 8 OHM;
FTE2 – Tweeter Visaton DT 94 8 OHM;
L1 – Bobina Visaton SP 0,68mH 1mm;
L2 – Bobina Visaton SP 0,68mH 0,6mm;
R1 – Resistor bobinado 8,2Ω±5% 5W;
R2 – Resistor bobinado 2,2Ω±5% 7W;
R3 – Resistor bobinado 18Ω±5% 5W.

A placa de circuito impresso é de face simples e pode ser preparada em casa. No entanto, há que tomar alguns cuidados prévios: é necessário estanhar todas as pistas antes de soldar os componentes, tal como o layout da mascara de solda sugere. A caixa deve ser construída com painéis de MDF de 22mm de espessura, à excepção do bastidor da tela ortofónica que requer um painel de 16mm. Poderá ver uma lista de todo o material necessário nas notas do projecto. Dispõe também de planos de construção com a indicação das medidas exactas dos painéis, cortes e furações.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/2k70oofm5kk0gqlq2fwo
Layout da placa: http://www.box.com/s/xk3jr8vejftmwk98060s
Planos de construção da caixa: http://www.box.com/s/au3sl5rgkdvs91csmqbi
Modelo da caixa (em anim8or): http://www.box.com/s/2uknyikyff581mugoby7
Notas do projecto (contém indicações importantes): http://www.box.com/s/n8iigtqn7ko3qfaaiy8e
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/o13leaohcnshllq9oa65

01/12/12

Circuito de muting para integrados amplificadores de potência "Overture"

Concebido para amplificadores de áudio, este circuito é compatível com a generalidade dos integrados* amplificadores de potência da série "Overture", da National Semiconductor (agora Texas Instruments), providos de mute. O seu propósito é cortar a saída do amplificador no instante em que este é desligado. Sem este circuito, o amplificador continuaria simplesmente a reproduzir durante alguns segundos, alimentado pelas reservas dos condensadores de filtro. Como é possível ver pelo diagrama da figura abaixo, trata-se de um circuito bastante simples e que requer poucos componentes: dois díodos, dois resistores, um condensador e um opto-acoplador.

Diagrama do circuito de 'muting'.

O que torna este circuito fácil de implementar é o facto de não precisar de uma fonte de alimentação dedicada ou de uma tensão específica para funcionar. Faz simplesmente uso das tensões já disponíveis na fonte de alimentação do amplificador. A figura seguinte mostra o diagrama do circuito de uma fonte de alimentação simétrica, comum em amplificadores deste género. Note que Vac+ e Vac- são tensões alternas de igual valor (Vac), mas em oposição de fase (porque, para todos os efeitos, existe um ponto de massa ou de referência entre os enrolamentos secundários do transformador). As tensões Vcc e Vee são contínuas e derivam da tensão presente em cada um dos enrolamentos secundários, Vac.

Diagrama do circuito de alimentação.

Os díodos Da e Db, configurados em meia ponte, formam um rectificador de onda completa com ponto neutro. Repare que após esta rectificação não existe qualquer condensador de filtro. É fulcral que assim seja, para que o circuito deixe de operar assim que o amplificador é desligado. A tensão rectificada resultante vai alimentar o LED do opto-acoplador (ICm), através do resistor Rl. Por sua vez, o foto-transístor do opto-acoplador conduz quando iluminado pelo LED. Note que a corrente que passa pelo LED é pulsada, mas devido à alta sensibilidade do foto-transístor, este último está em condução durante mais de 90% do tempo (os intervalos em que está ao corte nunca ultrapassam 1ms). O condensador (Cm) gere o tempo de arranque/corte da saída do amplificador e, em conjunto com o resistor Rm, mantém constante a corrente debitada do pino (ou pinos) de mute do integrado (ou integrados).

A tabela em baixo especifica os componentes recomendados, de acordo com a tensão de saída dos enrolamentos do transformador (Vac) e o número de pinos a serem comandados. Os resistores têm tolerância de 5%.

VacVeeCmDa/DbICmRlRm
Comando de pinos individuais
9V~-12V100µF 25V1N4001PC817470Ω 1/2W12KΩ 1/8W
12V~-16V100µF 25V1N4001PC817680Ω 1/2W18KΩ 1/8W
15V~-20V100µF 35V1N4001PC817820Ω 1W27KΩ 1/8W
18V~-24V100µF 50V1N4001TLP521-11,0KΩ 1W33KΩ 1/8W
22V~-30V100µF 50V1N4001TLP521-11,5KΩ 1W39KΩ 1/8W
25V~-34V100µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,5KΩ 1W47KΩ 1/8W
30V~-41V100µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,8KΩ 2W56KΩ 1/8W
Comando de dois pinos em simultâneo
9V~-12V220µF 25V1N4001PC817470Ω 1/2W6,8KΩ 1/8W
12V~-16V220µF 25V1N4001PC817680Ω 1/2W10KΩ 1/8W
15V~-20V220µF 35V1N4001PC817820Ω 1W12KΩ 1/8W
18V~-24V220µF 50V1N4001TLP521-11,0KΩ 1W18KΩ 1/8W
22V~-30V220µF 50V1N4001TLP521-11,5KΩ 1W22KΩ 1/8W
25V~-34V220µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,5KΩ 1W22KΩ 1/8W
30V~-41V220µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,8KΩ 2W27KΩ 1/4W
Comando de quatro pinos em simultâneo
9V~-12V470µF 25V1N4001PC817470Ω 1/2W3,3KΩ 1/8W
12V~-16V470µF 25V1N4001PC817680Ω 1/2W4,7KΩ 1/8W
15V~-20V470µF 35V1N4001PC817820Ω 1W6,8KΩ 1/8W
18V~-24V470µF 50V1N4001TLP521-11,0KΩ 1W8,2KΩ 1/4W
22V~-30V470µF 50V1N4001TLP521-11,5KΩ 1W10KΩ 1/4W
25V~-34V470µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,5KΩ 1W12KΩ 1/4W
30V~-41V470µF 63V1N4002PS2501A-1
PS2561A-1
1,8KΩ 2W15KΩ 1/2W

Como se depreende da tabela anterior, é possível comandar vários pinos de mute de um ou mais integrados com o circuito básico da primeira figura. Isto pode ser útil quando é necessário que esses pinos sejam comandados com absoluto sincronismo, o que acontece se o estágio de saída utilizar topologia paralela. No entanto, não é de todo necessário recorrer ao mesmo circuito de muting para gerir canais diferentes (por exemplo, em amplificadores estéreo). Nesse caso, é até recomendável o uso de circuitos de muting dedicados, partilhando os díodos entre si. Outras adaptações podem ser feitas ao circuito básico. É possível, por exemplo, implementar uma função de muting manual, apenas com a introdução de um simples interruptor em série com Rl.

* Aplica-se aos seguintes integrados: LM2876, LM3876, LM3886, LM4766, LM4780 e LM4781.

20/11/12

Crossover passivo CSX128

Este é o último crossover da série CSX100. Tal como os restantes, o CSX128 é um crossover de duas vias, específico para altifalantes de 8 ohms. Dada a sua frequência de transição relativamente baixa, é adequado para emparelhar um mid-tweeter com um woofer. À semelhança dos outros crossovers da série, não dispensa o uso de uma rede de atenuação (ou L-pad) caso seja necessário baixar a sensibilidade do tweeter, ou de uma célula de Boucherot para corrigir a impedância do woofer.

Parâmetros de funcionamento:
- P nom. = 100W
- P pc. = 150W
- Z W = 8Ω
- Z MT = 8Ω

Características do crossover:
- Ordem: 1
- Alinhamento: Butterworth
- Frequência de transição: 2,765KHz
- Atenuação de transição: 6,269dB

O circuito é muito simples. O condensador em série com o tweeter actua como um filtro passa-alto, ao passo que o que a bobina em série com o woofer actua como um filtro passa-baixo. Desta forma, cada altifalante recebe as frequências adequadas à sua gama de resposta.

Lista de componentes:
C – Condensador Visaton ELKO spez. 6,8µF;
L – Bobina Visaton SP 0,47mH 1mm.

A placa de circuito impresso é de face simples e pode ser preparada em casa. A sua montagem requer contudo alguns cuidados prévios. Deverá estanhar todas as pistas antes de soldar os componentes, de acordo com o layout da máscara de solda.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/bd82ro8tx1yhxzpllikq
Layout da placa: http://www.box.com/s/vctkajg30lmlajakq09p
Simulação: http://www.box.com/s/eiafcbh9uabeon322ktd
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/4qxi7x9bkgqybr142kb9

12/11/12

Em esboço: Coluna de som "Cygnus II"

A necessidade deste novo projecto surge devido à descontinuação do altifalante W 130 SC 8 OHM da Visaton, um mid-bass necessário ao projecto "Cygnus". A nova coluna de som, Cygnus II, terá características similares às da sua predecessora. Prevê-se contudo a utilização de altifalantes diferentes: o mid-bass W 130 S 8 OHM e o tweeter DT 94 8 OHM, ambos altifalantes não blindados da Visaton.

06/11/12

Crossover passivo CSX160

Outro crossover da série CSX100, o CSX160 é de todos o que exibe a frequência de transição mais elevada. Tal como os restantes crossovers da série, é de duas vias e específico para altifalantes de 8 ohms. Como os demais, não dispensa o uso de uma rede de atenuação (ou L-pad) caso seja necessário baixar a sensibilidade do tweeter, ou de uma célula de Boucherot para corrigir a impedância do woofer.

Parâmetros de funcionamento:
- P nom. = 100W
- P pc. = 150W
- Z W = 8Ω
- Z T = 8Ω

Características do crossover:
- Ordem: 1
- Alinhamento: Butterworth
- Frequência de transição: 5,729KHz
- Atenuação de transição: 6,245dB

O circuito é bastante simples. O condensador em série com o tweeter actua como um filtro passa-alto, ao passo que o que a bobina em série com o woofer actua como um filtro passa-baixo. Consequentemente, cada altifalante recebe as frequências adequadas à sua gama de resposta.

Lista de componentes:
C – Condensador Visaton ELKO spez. 3,3µF;
L – Bobina Visaton SP 0,22mH 0,6mm.

A placa de circuito impresso é de face simples e pode ser preparada em casa. A sua montagem é fácil mas requer alguns cuidados prévios. É necessário estanhar todas as pistas antes de soldar os componentes, seguindo o layout da máscara de solda.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/1wa70rwmhmxbcoojc0sn
Layout da placa: http://www.box.com/s/shshrrm60jbg7y1mn48g
Simulação: http://www.box.com/s/6ucjpun4s5otxomjcr24
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/u1dz57dlmj6ot8r6v7nl

01/11/12

Crossover passivo CSX140

Hoje apresento outro crossover da série CSX100, o CSX140. Muito semelhante ao CSX118 apresentado no post anterior, este é um crossover de duas vias para altifalantes de 8 ohms. A sua frequência de transição mais alta já permite a sua aplicação em colunas que tenham tweeter. Tal como o CSX118, este crossover não dispensa o uso de uma rede de atenuação (ou L-pad) caso seja necessário baixar a sensibilidade do tweeter, ou de uma célula de Boucherot para corrigir a impedância do woofer.

Parâmetros de funcionamento:
- P nom. = 100W
- P pc. = 150W
- Z W = 8Ω
- Z T = 8Ω

Características do crossover:
- Ordem: 1
- Alinhamento: Butterworth
- Frequência de transição: 3,899KHz
- Atenuação de transição: 6,385dB

O circuito é muito simples. O condensador em série com o tweeter actua como um filtro passa-alto, enquanto que a bobina em série com o woofer actua como um filtro passa-baixo. Deste modo, cada altifalante recebe as frequências adequadas à sua gama de resposta.

Lista de componentes:
C – Condensador Visaton ELKO spez. 4,7µF;
L – Bobina Visaton SP 0,33mH 0,6mm.

A placa de circuito impresso é de face simples e, com os meios adequados, pode ser preparada em casa. A sua montagem requer contudo alguns cuidados prévios. Deverá estanhar todas as pistas antes de soldar os componentes, de acordo com o layout da máscara de solda.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/nh65cpg47hnynqwuncfg
Layout da placa: http://www.box.com/s/di121t32la7fhzfwq86n
Simulação: http://www.box.com/s/ot0k75tpyy92lh4obv3f
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/chxmn3aw8wdeozs8yzj5

27/10/12

Crossover passivo CSX118

O CSX118 é um crossover de duas vias, próprio para altifalantes de 8 ohms, criado para ser aplicado em colunas já existentes. Graças à sua frequência de transição particularmente baixa, é adequado para emparelhar um mid-tweeter com um woofer. Eventualmente pode ser necessária uma rede de atenuação (ou L-pad) para baixar a sensibilidade do mid-tweeter, assim como uma célula de Boucherot para corrigir a impedância do woofer.

Parâmetros de funcionamento:
- P nom. = 100W
- P pc. = 150W
- Z W = 8Ω
- Z MT = 8Ω

Características do crossover:
- Ordem: 1
- Alinhamento: Butterworth
- Frequência de transição: 1,884KHz
- Atenuação de transição: 6,261dB

O circuito é bastante elementar. O condensador em série com o mid-tweeter actua como um filtro passa-alto, ao passo que a bobina em série com o woofer actua como um filtro passa-baixo. Assim, cada altifalante recebe as frequências adequadas à sua gama de resposta.

Lista de componentes:
C – Condensador Visaton ELKO spez. 10µF;
L – Bobina Visaton SP 0,68mH 1mm.

A placa de circuito impresso é de face simples e, tendo os meios adequados, pode ser preparada em casa. A sua montagem é fácil mas requer alguns cuidados prévios. Deverá estanhar todas as pistas antes de soldar os componentes, conforme o layout da máscara de solda sugere.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/c3ymkhnr3qlkt1ks3anv
Layout da placa: http://www.box.com/s/4vezkpwvclw2okiggadp
Simulação: http://www.box.com/s/cfqa7rfolwjyxo6w6bge
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/8dscb8tppyh0slvejjcf

20/10/12

Em desenvolvimento: Série de crossovers passivos CSX100

Esta é uma série de quatro crossovers passivos que estou actualmente a desenvolver. Tratam-se de crossovers de 1ª ordem com alinhamento Butterworth, especificamente concebidos para altifalantes de 8 ohms.

Os respectivos projectos irão ser lançados progressivamente entre este e o próximo ano, não havendo quaisquer prazos definidos.

03/10/12

Testes relativos ao projecto "Monoblocus Magnus"

No passado domingo pude finalmente proceder aos testes em placa de ensaio, uma vez que já tinha todos os componentes necessários à montagem do circuito. Numa primeira fase testei os integrados LM3876 com as saídas desacopladas, verificando a diferença de tensão entre uma saída e outra com um osciloscópio. Para alimentar o circuito, utilizei um transformador convencional de 15-0-15V~ (toma central) e de 75VA (o ideal nesta situação seria utilizar um transformador toroidal de 2x25V~ e 250VA). Utilizei um leitor de MP3 como fonte de sinal.

Integrados LM3876 montados em placa de ensaio. As saídas dos integrados ainda não estão acopladas.

Formas de onda relativas à diferença de tensão entre as saídas, para várias frequências do sinal de entrada.

Submeti a entrada deste amplificador experimental a uma série de sinais sinusoidais com frequências diferentes: 10Hz, 100Hz, 1KHz e 10KHz. Como é possível ver pela imagem anterior, a diferença de tensão entre as saídas teve sempre valores mínimos (raramente ultrapassando os 100mVpp com o sinal de saída na sua amplitude máxima). Neste aspecto, a escolha de resistores com 0,1% de tolerância para definir o ganho provou ser fulcral. Isto porque, num amplificador com topologia paralela como este, é essencial que a carga seja perfeitamente balanceada entre os dois integrados.

Numa segunda fase, fiz alguns testes para verificar como se comportaria o amplificador numa situação real. Com as saídas dos LM3876 acopladas, utilizei um altifalante Visaton FR 10 de 4 ohms como carga e novamente o leitor de MP3 como fonte de sinal. O som apresentou-se claro e sem qualquer distorção. O circuito de muting funcionou como esperado, embora tendo uma resposta um pouco lenta.

Integrados já com as saídas acopladas, efectivamente a trabalhar em paralelo.

26/09/12

Amplificador de áudio "Monoblocus" (Rev. 2)

Esta é a segunda revisão do projecto "Monoblocus", já apresentado no post de 18 de Dezembro de 2011. Trata-se de uma revisão menor, dado que introduz poucas melhorias a nível do circuito. No entanto, estas têm um impacto significativo no desempenho do amplificador, pois a nova versão é mais imune a ruído e mais fiável do que as versões anteriores. Contudo, as especificações técnicas são iguais às da revisão anterior. Para além de um melhor desempenho, o novo amplificador apresenta uma estética renovada, sendo o seu desenho mais simples, sóbrio e actual.

O circuito é muito semelhante ao da revisão anterior, diferindo apenas na introdução de dois componentes. Ambas as linhas de alimentação estão providas de fusíveis (F1 e F2). Trata-se de uma medida de segurança para proteger os díodos D1 e D2 em caso de falha no isolamento entre os enrolamentos primário e secundários do transformador. A protecção dos díodos é sempre garantida por um dos fusíveis. Implementei também uma medida no sentido de tornar o amplificador menos susceptível a interferências. O condensador C1 auxilia os díodos D1 e D2 na remoção de eventuais correntes de fuga do transformador para a terra, assim como também suprime o ruído de alta frequência que possa estar presente na alimentação.

Componentes:
C1 – Condensador tipo Y2 100nF 300V~;
C2/5 – Condensador electrolítico 10mF 50V;
C3/6/8 – Condensador electrolítico 100µF 50V;
C4/7/12 – Condensador de poliéster 100nF 63V;
C9 – Condensador de poliéster 1µF 63V;
C10 – Condensador cerâmico 220pF 63V;
C11 – Condensador electrolítico não polarizado 100µF 10V;
D1/2 – Díodo rectificador 1N4005;
D3-6 – Díodo rectificador 1N5400;
D7/8 – Díodo rectificador 1N4001;
F1/2 – Fusível lento 1A;
F3/4 – Fusível lento 3,15A;
HS – Dissipador passivo de 1,2°C/W;
IC1 – Opto-acoplador TLP521-1;
IC2 – Amplificador de áudio de potência LM3876 (LM3876TF);
J1 – Conector IEC C14;
J2 – Conector RCA fêmea;
JW – Fio multifilar 26AWG;
L – Bobina de núcleo de ar 16 espiras Ø6mm 22AWG;
LP – Lâmpada de néon resistorizada 230V~;
R1 – Resistor de carvão 1,2KR±5% 1W;
R2/6 – Resistor de carvão 33KR±5% 1/8W;
R3 – Resistor de carvão 12KR±5% 1/8W;
R4 – Resistor de carvão 47KR±5% 1/8W;
R5/7 – Resistor de carvão 1KR±5% 1/8W;
R8 – Resistor de carvão 4,7R±5% 1W;
R9 – Resistor de carvão 10R±5% 1/2W;
S – Interruptor bipolar;
T – Transformador toroidal 230V~ 2x18V~ 120VA.

A placa de circuito impresso deve ser preparada pelo modo usual, seguindo os mesmos preceitos. Embora o modelo da caixa seja o mesmo, a sua furação deve ser feita segundo o novo guia. Recomendo ler as notas do projecto antes de proceder à montagem.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/p447tmqhnt8ll8w4dada
Layout da placa: http://www.box.com/s/hyr26htzc80709ye07xp
Guia de furação da caixa: http://www.box.com/s/c1h76355yq6nzpg68x6n
Notas do projecto (contém indicações importantes): http://www.box.com/s/1cgvk526fa6gev8vkewi
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/7qareyp95zac6xe8qi94

02/09/12

Amplificador de áudio "Taurus" (Rev. B1)

Esta é a terceira revisão do projecto "Taurus", inicialmente apresentado no post de 2 de Julho de 2011. É uma revisão menor, pois introduz poucas alterações ao circuito. No entanto, o impacto destas alterações no desempenho é significativo, uma vez que a nova versão deste amplificador é mais imune a ruído e mais fiável do que as versões anteriores. Esta revisão também introduz algumas melhorias a nível de estética: o novo amplificador apresenta-se mais simples, sóbrio e actual.

Parâmetros de funcionamento:
- V a. mín. = 207V RMS
- V a. máx. = 253V RMS
- Z L mín. = 4Ohm

Características eléctricas:
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 994,2mA RMS
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 689,0mA RMS
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 228,7W
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 158,5W

Características de amplificação:
- Impedância de entrada: 2,481-10KOhm
- Sensibilidade de entrada: 500mV RMS
- Ganho: 30,63dB (34V/V)
- Resposta em frequência (-3dB): 12,91-120000Hz
- Potência de saída (Z L = 4Ohm): 45W
- Potência de saída (Z L = 8Ohm): 29W

O circuito é bastante semelhante ao da revisão anterior. O condensador C1, introduzido nesta revisão, auxilia os díodos D1 e D2 na remoção de eventuais correntes de fuga do transformador para a terra. Este condensador também suprime o ruído de alta frequência que possa estar presente na alimentação, tornando o amplificador efectivamente imune a ruído. Implementei medidas adicionais de segurança, para o caso de ocorrer uma falha de isolamento entre os enrolamentos primário e secundários do transformador. De forma a proteger os díodos D1 e D2, ambas as linhas de alimentação estão munidas de fusíveis (F1 e F2) pois, dependendo da posição da ficha na tomada, a fase pode estar em qualquer das linhas. Esses díodos passam a ser do tipo 1N5405, um tipo mais adequado ao calibre dos fusíveis em questão. Adicionalmente optei por corrigir o comportamento do potenciómetro de volume (R1). Os resistores R4 e R13 são agora de 3,3K. Desta forma, R1 tem um comportamento mais próximo ao de um potenciómetro logarítmico ideal.

Lista de componentes:
C1 – Condensador tipo Y2 100nF 300V~
C2/5/13/16 – Condensador electrolítico 10mF 50V;
C3/6/8/14/17/19 – Condensador electrolítico 100µF 50V;
C4/7/12/15/18/23 – Condensador de poliéster 100nF 63V;
C9/20 – Condensador de poliéster 1µF 63V;
C10/21 – Condensador cerâmico 220pF 63V;
C11/22 – Condensador electrolítico não polarizado 100µF 10V;
D1/2 – Díodo rectificador N5405;
D3-10 – Díodo rectificador N5400;
D11/12 – Díodo rectificador N4001;
F1/2 – Fusível lento 2A;
F3/4 - Fusível lento 6,3A;
HS1/2 – Dissipador passivo de 1,2°C/W;
IC1/3 – Opto-acoplador TLP521-1;
IC2/4 – Amplificador de áudio de potência LM3876 (LM3876TF);
J1 – Conector IEC C14;
J2/3 – Conector RCA fêmea;
JW1/2 – Fio multifilar 26AWG;
L1/2 – Bobina de núcleo de ar 16 espiras Ø6mm 22AWG;
LP – Lâmpada de néon resistorizada 230V~;
R1 – Potenciómetro duplo 10KR±10% 1/8W;
R2/R11 – Resistor de carvão 1,2KR±5% 1W;
R3/7/12/16 – Resistor de carvão 33KR±5% 1/8W;
R4/13 – Resistor de carvão 3,3KR±5% 1/8W;
R5/14 – Resistor de carvão 47KR±5% 1/8W;
R6/8/15/17 – Resistor de carvão 1KR±5% 1/8W;
R9/18 – Resistor de carvão 4,7R±5% 1W;
R10/19 – Resistor de carvão 10R±5% 1/2W;
S – Interruptor bipolar;
T – Transformador toroidal 230V~ 2x18V~ 225VA.

A placa de circuito impresso é semelhante à da revisão anterior e prepara-se do modo usual, tomando as devidas precauções. O modelo da caixa a usar é o referido no projecto original. No entanto, a sua furação deve ser feita de acordo com o novo guia. Deverá ler as notas do projecto antes de iniciar a montagem.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/f2fdhlce8rcne396vh2l
Layout da placa: http://www.box.com/s/7pns4lfcx9v02crc9xf6
Guia de furação da caixa: http://www.box.com/s/r49lcicd72lms1jaj21s
Notas do projecto (contém indicações importantes): http://www.box.com/s/27l0gctf3gkgzkl6cf5b
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/shared/m8ro7gf5z8

16/08/12

Novas revisões

Em breve irei lançar novas revisões dos projectos "Taurus" e "Monoblocus". Serão revisões menores, mas nem por isso menos importantes, pois introduzirão melhorias significativas a nível de segurança e desempenho. O lançamento destas revisões está previsto para Setembro ou Outubro.

09/08/12

Atrasos no projecto "Monoblocus Magnus"

Não tenho feito grandes progressos neste projecto, mais por falta de material do que por falta de disponibilidade. Ainda não tenho todos os componentes necessários para fazer os testes. Dependendo de um dos meus fornecedores, só em Setembro ou Outubro é que poderei avançar com os mesmos. Sendo assim, é possível que o projecto não venha a ser lançado este ano.

26/07/12

Kit Velleman MK151 - Relógio digital a LED

Sem dúvida, o melhor kit da Velleman que montei até hoje. O MK151 é um kit extremamente completo, pois é fornecido com uma caixa que lhe dá o valor estético de um produto acabado. Para além desse bónus, é um kit didáctico e divertido, à semelhança de muitos outros kits da Velleman.

Kit Velleman MK151 montado.

Um microcontrolador PIC16C54 da Microchip é o componente central. É este que contém toda a lógica que controla os dígitos de sete segmentos. A base de tempo é estabelecida por um oscilador de cristal cujo ajuste é feito por intermédio de um condensador variável.

Este kit é algo complexo, pelo que não o recomendo a quem esteja a iniciar-se na soldadura electrónica. A parte mais trabalhosa é mesmo o ajuste da base de tempo: é um processo de tentativa e erro que pode levar horas! Aparte este inconveniente, não deixa de ser um kit fantástico.

15/07/12

Migração da galeria de imagens para o Photobucket

A Google decidiu colocar o Picassa e o Google+ no mesmo saco. Um tiro no pé, na minha opinião, pois um serviço de partilha de fotos nunca deve ser confundido nem ser parte de uma rede social. Graças a esta política da Google decidi abrir uma conta no Photobucket, pelo que a partir de hoje a galeria de imagens pode ser visitada em http://photobucket.com/bloguetronica.

07/07/12

Em esboço: Pré-amplificador de áudio "Axis"

Trata-se de um pré-amplificador simples, com um único controle para volume. O circuito irá ser desenhado em torno do integrado TL072, um amplificador operacional duplo com alta impedância de entrada e baixo ruído. Presentemente estou a planear usar dois destes integrados, um para cada canal. No entanto falta fazer alguns estudos e testes, pelo que ainda não tenho um circuito concreto para este projecto.

17/06/12

Classes de isolamento em equipamentos eléctricos

De acordo com a IEC (International Electrotechnical Commission ou Comissão Electrotécnica Internacional), os equipamentos eléctricos podem ser agrupados em quatro classes distintas, consoante o tipo de isolamento que possuam: as denominadas classe 0, classe I, classe II e classe III. É pois importante conhecer estas classes, os pontos que as distinguem e a respectiva simbologia.

Símbolos da classes I, II e III.

Classe 0:
Esta classe engloba qualquer aparelho contendo tensões perigosas (isto é, com valores acima dos 50V em corrente alterna ou dos 75V em corrente contínua), isolamento simples e provido de chassis metálico sem ligação à terra. Dado que estes aparelhos não têm medidas adicionais de segurança caso o isolamento falhe, são considerados perigosos e a sua venda é proibida em muitos países.

Classe I:
Tal como a classe anterior, engloba qualquer aparelho contendo tensões perigosas e isolamento simples, com a diferença de que o chassis metálico é provido de ligação à terra. Estes aparelhos têm tipicamente um cabo de três condutores e ficha com terra. Tais aparelhos são considerados seguros desde que a respectiva ficha esteja ligada a uma tomada com terra. Assim, em caso de existir falha no isolamento, a corrente que vai para o chassis é redireccionada para a terra, protegendo o utilizador de um eventual choque eléctrico.

Classe II:
Esta classe engloba todos os aparelhos que contêm tensões perigosas e que sejam providos de isolamento reforçado (com duas camadas ou mais). Os aparelhos são mais seguros do que os da classe anterior, pois não tem de existir nenhum condutor de protecção nem presença de terra para que o utilizador esteja de facto protegido. Tipicamente, o chassis destes aparelhos é feito em material isolante. No entanto, existem aparelhos de classe II com chassis metálico. Nestes aparelhos, o duplo isolamento é normalmente feito internamente, com toda a parte eléctrica envolta numa caixa isolante. Em todo o caso, estes aparelhos não podem ser ligados à terra.

Classe III:
Esta classe engloba todos os aparelhos sem quaisquer tensões perigosas no seu interior. Visto que as tensões são inerentemente seguras, estes aparelhos não precisam de ter as medidas de protecção que se vêem nas duas classes anteriores. Qualquer pessoa pode assim entrar em contacto com uma parte do aparelho que esteja sob tensão sem risco de choque eléctrico.

20/05/12

Amplificador de áudio "Taurus" (Rev. B)

Esta é a segunda revisão do projecto "Taurus", apresentado no post de 2 de Julho de 2011. Tratando-se de uma revisão maior, este projecto introduz alterações profundas a nível do circuito. O novo amplificador é menos susceptível a interferências e, tal como o amplificador Monoblocus, utiliza circuitos de muting para cortar a sua saída assim que é desligado. É de salientar que esta revisão corrige um erro introduzido na revisão A, pois na altura não tive em conta a atenuação de graves causada pelos condensadores de acoplamento (de 1µF) na etapa de entrada (o que faz com que, na realidade, a frequência de corte inferior a -3dB seja de 27,19Hz e não de 7,234Hz). A resposta em frequência é agora mais ampla a nível de graves, embora não tanto como no projecto original.

Parâmetros de funcionamento:
- V a. mín. = 207V RMS
- V a. máx. = 253V RMS
- Z L mín. = 4Ohm

Características eléctricas:
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 994,2mA RMS
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 689,0mA RMS
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 228,7W
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 158,5W

Características de amplificação:
- Impedância de entrada: 3,197-10KOhm
- Sensibilidade de entrada: 500mV RMS
- Ganho: 30,63dB (34V/V)
- Resposta em frequência (-3dB): 12,91-120000Hz
- Potência de saída (Z L = 4Ohm): 45W
- Potência de saída (Z L = 8Ohm): 29W

O circuito utiliza dois integrados LM3876, um por canal. Cada canal tem o seu circuito de muting com o respectivo opto-acoplador TLP521-1. Tomei esta opção de utilizar opto-acopladores separados para evitar a ocorrência de diafonia. Contudo, o que torna este circuito sui generis é o facto de cada canal ter a sua ponte rectificadora e condensadores de filtro dedicados. O uso de pontes rectificadoras dedicadas impede que eventuais picos de corrente por parte de um dos integrados tenham um efeito significativo sobre a alimentação do outro. Assim, mitiga-se qualquer interferência entre canais. Como medida de segurança, os díodos D1 e D2 direccionam eventuais correntes de fuga provenientes do transformador para a terra. Fiz também algumas correcções. Os condensadores C10 e C21 são de 100µF, para que a frequência de corte inferior tenha um valor mais aceitável (de 12,91Hz). Consequentemente, os condensadores de acoplamento C8 e C19 têm maior peso na atenuação de baixas frequências, servindo C10 e C21 para minimizar a componente DC à saída dos respectivos canais. O valor dos resistores das células de Boucherot, R9 e R18, é agora de 4,7 ohms. Este valor é mais adequado ao regime de carga previsto para o amplificador.

Lista de componentes:
C1/4/12/15 – Condensador electrolítico 10mF 50V;
C2/5/7/13/16/18 – Condensador electrolítico 100µF 50V;
C3/6/11/14/17/22 – Condensador de poliéster 100nF 63V;
C8/19 – Condensador de poliéster 1µF 63V;
C9/20 – Condensador cerâmico 220pF 63V;
C10/21 – Condensador electrolítico não polarizado 100µF 10V;
D1/2 – Díodo rectificador N4005;
D3-10 – Díodo rectificador N5400;
D11/12 – Díodo rectificador N4001;
F1 – Fusível lento 2A;
F2/3 - Fusível lento 6,3A;
HS1/2 – Dissipador passivo de 1,2°C/W;
IC1/3 – Opto-acoplador TLP521-1;
IC2/4 – Amplificador de áudio de potência LM3876 (LM3876TF);
J1 – Conector IEC C14;
J2/3 – Conector RCA fêmea;
JW1/2 – Fio multifilar 26AWG;
L1/2 – Bobina de núcleo de ar 16 espiras Ø6mm 22AWG;
LP – Lâmpada de néon resistorizada 230V~;
R1 – Potenciómetro duplo 10KR±10% 1/8W;
R2/R11 – Resistor de carvão 1,2KR±5% 1W;
R3/7/12/16 – Resistor de carvão 33KR±5% 1/8W;
R4/13 – Resistor de carvão 4,7KR±5% 1/8W;
R5/14 – Resistor de carvão 47KR±5% 1/8W;
R6/8/15/17 – Resistor de carvão 1KR±5% 1/8W;
R9/18 – Resistor de carvão 4,7R±5% 1W;
R10/19 – Resistor de carvão 10R±5% 1/2W;
S – Interruptor bipolar;
T – Transformador toroidal 230V~ 2x18V~ 225VA.

A placa de circuito impresso deve ser preparada pelo modo usual, tomando as devidas precauções. O modelo da caixa a usar é o sugerido no projecto original. Contudo, a furação deve ser feita de acordo com o novo guia, dado que as dimensões da placa de circuito impresso são diferentes. Antes de proceder à montagem, deve ler as notas do projecto.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/798e369431c9fbbe5d9e
Layout da placa: http://www.box.com/s/dee98345b215982657a1
Guia de furação da caixa: http://www.box.com/s/2c26f6611c0779c97bd5
Notas do projecto (contém indicações importantes): http://www.box.com/s/20a131661a825d1e7a90
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/shared/m8ro7gf5z8

17/05/12

Primeiro aniversário

Faz hoje um ano que iniciei este blogue. Iniciei-o com a missão de ensinar, de ajudar, de difundir conhecimento, pois acredito que o conhecimento deve ser livre e acessível a todos. Até hoje, o blogue tem servido bem este propósito, e espero que continue a servir.

Durante a sua presença na blogosfera, este blogue tem vindo a crescer e a melhorar substancialmente. Quando o iniciei, o "Projectos de Electrónica" estava centrado nos projectos de electrónica que havia criado e que fui criando. Com o alargamento do escopo para outros temas relacionados com electrónica, surgiu a necessidade de lhe dar um novo nome: Bloguetrónica. Posteriormente iniciei uma página no Facebook, que eventualmente lhe deu projecção. Em suma, foi um primeiro ano de grande sucesso!

É pois meu desejo que este blogue continue a crescer e prometo, enquanto me for possível, dar continuidade a este projecto.

05/05/12

Em esboço: Coluna de som "Lynx"

Trata-se de uma coluna de som de duas vias. Para este projecto escolhi o woofer W 250 S 8 OHM e o tweeter G 25 FFL 8 OHM, ambos altifalantes de grande qualidade da Visaton. O crossover será de 3ª ordem com alinhamento Butterworth, topologia adequada aos altifalantes em questão. Em termos de características, prevê-se uma potência nominal de 100W e uma resposta em frequência (-10dB) de 32Hz a 30000KHz.

29/04/12

Nova revisão do projecto "Taurus"

Implementando as modificações apresentadas no post de 4 de Dezembro de 2011, decidi avançar com a próxima revisão deste amplificador: a revisão B. Esta nova versão é baseada no integrado LM3876, e tem uma ponte rectificadora e um circuito de muting para cada canal. Para além disso, foram feitas correcções à semelhança do projecto "Monoblocus" (conforme poderá ler no post de 2 de Abril).

O diagrama do circuito já está pronto. Ainda falta desenhar o layout da placa, entre outras coisas. Se não houver entraves de maior, espero lançar esta revisão antes do final do ano. Entretanto disponibilizei alguns ficheiros no repositório de ficheiros, os quais poderá consultar a partir do seguinte endereço: http://www.box.com/s/9ef373188e28dfbaec05.

18/04/12

Coluna de som "Cygnus" (Rev. 1)

Este projecto é uma revisão menor do projecto "Cynus" apresentado no post de 21 de Maio de 2011. O circuito é o mesmo e, por conseguinte, as características eléctricas e sonoras são idênticas às do projecto original. Apenas foi alterado o desenho da placa de circuito impresso, que agora inclui máscara de solda.

Relativamente à montagem da placa, as pistas devem ser estanhadas tal como é sugerido no layout da máscara de solda. De resto, o processo de construção deste projecto é semelhante, pelo que é aconselhável seguir as notas do projecto original.

Links importantes:
Layout da placa: http://www.box.com/s/871c71cb256f2c1724f9
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/shared/ph793oy4z4

14/04/12

Soundcard Oscilloscope

Soundcard Oscilloscope é uma ferramenta criada por Christian Zeitnitz que funciona não só como osciloscópio, mas também como analisador de espectro e como gerador de sinais. Utiliza a placa de som do computador para receber e gerar sinais, sendo uma solução satisfatória para quem pretende ter um osciloscópio ou um gerador de sinais a custo zero. No entanto, há que ter em conta que este software não substitui os equipamentos reais.

Soundcard Oscilloscope.

Este software é muito completo no que diz respeito às funcionalidades que traz. O osciloscópio tem dois canais e possibilita a regulação de amplitude independente para cada canal, regulação de base de tempo e vários modos de disparo. Através do modo gráfico X-Y é possível visualizar figuras de Lissajous. O gerador de sinais é extremamente completo também, dado que permite gerar sinais com diversas formas de onda (sinusoidal, triangular, quadrada, em dente de serra) e permite fazer varrimento em frequência. Esta é uma ferramenta que recomendo vivamente, por ser gratuita e de grande utilidade.

Links:
Soundcard Oscilloscope: http://www.zeitnitz.de/Christian/scope_en

07/04/12

Em esboço: Amplificador de áudio "Monoblocus Magnus"

Decidi pôr em prática a ideia que divulguei no post de 13 de Março e tenho agora um primeiro esboço do circuito. No entanto, este projecto ainda está no seu início e a sua viabilidade é discutível. Há que realizar testes em placa de ensaio e há que desenhar o layout da placa de circuito impresso, entre outras coisas. Se não encontrar obstáculos de maior, espero ter o projecto concluído antes do final do ano.

02/04/12

Amplificador de áudio "Monoblocus" (Rev. 1)

Esta é uma revisão menor do projecto "Monoblocus" apresentado no post de 18 de Dezembro de 2011. A resposta em frequência deste amplificador apresenta-se agora mais ampla a nível de graves. Esta melhoria corrige um erro, repetido tanto no projecto original deste amplificador como na revisão A do amplificador Taurus, pois na altura não considerei a atenuação de graves motivada pelo uso de condensadores de acoplamento (1µF) na etapa de entrada destes amplificadores (o que faz com que, na realidade, a frequência de corte inferior a -3dB seja de 27,19Hz e não de 7,234Hz). Fiz outras pequenas alterações a nível do circuito e do layout da placa que não influenciam o desempenho do amplificador.

Parâmetros de funcionamento:
- V a. mín. = 207V RMS
- V a. máx. = 253V RMS
- Z L mín. = 4Ohm

Características eléctricas:
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 496,4mA RMS
- I a. (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 343,9mA RMS
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 4Ohm) = 114,2W
- P (V a. = 230V RMS, Z L = 8Ohm) = 79,10W

Características de amplificação:
- Impedância de entrada: 9,559KOhm
- Sensibilidade de entrada: 500mV RMS
- Ganho: 30,63dB (34V/V)
- Resposta em frequência (-3dB): 12,91-120000Hz
- Potência de saída (Z L = 4Ohm): 45W
- Potência de saída (Z L = 8Ohm): 29W

O circuito é muito semelhante ao do projecto original, havendo apenas a introdução de dois díodos e alterações nos valores de outros dois componentes. Os díodos D1 e D2 direccionam eventuais correntes de fuga provenientes do transformador para a terra (via repicagem no chassis) impedindo, no entanto, a ocorrência de fenómenos de ground loop. Com vista a alargar a resposta em frequência do amplificador, o condensador C10 passa a ser de 100µF. Com esta alteração, o condensador C8 tem maior peso na atenuação das baixas frequências, servindo o condensador C10 para minimizar qualquer componente DC no sinal de saída do amplificador. O resistor R8, da célula de Boucherot, passa a ser de 4,7 ohms. Este é o valor mais adequado ao regime de carga previsto para o amplificador.

Componentes:
C1/4 – Condensador electrolítico 10mF 50V;
C2/5/7 – Condensador electrolítico 100µF 50V;
C3/6/11 – Condensador de poliéster 100nF 63V;
C8 – Condensador de poliéster 1µF 63V;
C9 – Condensador cerâmico 220pF 63V;
C10 – Condensador electrolítico não polarizado 100µF 10V;
D1/2 – Díodo rectificador 1N4005;
D3-6 – Díodo rectificador 1N5400;
D7/8 – Díodo rectificador 1N4001;
F1 – Fusível lento 1A;
F2/3 – Fusível lento 3,15A;
HS – Dissipador passivo de 1,2°C/W;
IC1 – Opto-acoplador TLP521-1;
IC2 – Amplificador de áudio de potência LM3876 (LM3876TF);
J1 – Conector IEC C14;
J2 – Conector RCA fêmea;
JW – Fio multifilar 26AWG;
L – Bobina de núcleo de ar 16 espiras Ø6mm 22AWG;
LP – Lâmpada de néon resistorizada 230V~;
R1 – Resistor de carvão 1,2KR±5% 1W;
R2/6 – Resistor de carvão 33KR±5% 1/8W;
R3 – Resistor de carvão 12KR±5% 1/8W;
R4 – Resistor de carvão 47KR±5% 1/8W;
R5/7 – Resistor de carvão 1KR±5% 1/8W;
R8 – Resistor de carvão 4,7R±5% 1W;
R9 – Resistor de carvão 10R±5% 1/2W;
S – Interruptor bipolar;
T – Transformador toroidal 230V~ 2x18V~ 120VA.

A placa de circuito impresso é muito semelhante à do projecto original, e requer os mesmos cuidados na sua preparação. O modelo da caixa a usar é o mesmo, não existindo diferenças na furação. A montagem faz-se exactamente do mesmo modo. Convém seguir as notas do projecto original.

Links importantes:
Diagrama do circuito: http://www.box.com/s/4d1b3de2d26508d5293b
Layout da placa: http://www.box.com/s/14463b7fa6da50016944
Pasta contendo todos os ficheiros: http://www.box.com/s/7qareyp95zac6xe8qi94

25/03/12

LTspice IV

O LTspice IV é uma aplicação de simulação SPICE (de Simulated Program with Integrated Circuits Emphasis, ou Programa de Simulação com Ênfase em Circuitos Integrados) desenvolvida pela Linear Technology. Tal como a maioria das aplicações deste tipo, permite fazer análise DC, análise AC, análise transiente e análise de Fourier de circuitos analógicos. O que distingue o LTspice IV das outras aplicações é a sua capacidade de estimar a eficiência de um circuito assim como a quantidade de calor que este dissipa.

LTspice IV.

A biblioteca de modelos que vem com o LTspice IV é maioritariamente constituída por dispositivos da Linear Technology, havendo poucos dispositivos genéricos. No entanto, é possível importar modelos de terceiros para a biblioteca. Assim, o LTspice IV consegue ser bastante completo, e melhor ainda, é gratuito.

Links:
Linear Technology: http://www.linear.com/
LTspice IV: http://www.linear.com/designtools/software/#LTspice

17/03/12

Bloguetrónica no Facebook

Desde 5 de Fevereiro que o Bloguetrónica marca a sua presença no Facebook. A página começou como uma experiência mas, graças ao seu sucesso, serve agora como portal oficial do blogue nessa rede social. Poderá acompanhar o blogue a partir do Facebook, em http://www.facebook.com/bloguetronica.

13/03/12

Monoblocus Magnus: Uma ideia para um novo projecto

Este é um outro projecto cuja viabilidade estou a ponderar. Tal como o amplificador Monoblocus, é um amplificador mono de alta-fidelidade. Em principio irá ser baseado no integrado LM3876, utilizando dois destes em paralelo. Esta topologia possibilita o uso de altifalantes de 4 ohms com tensões de alimentação superiores a +/-30V sem sobrecarregar os integrados. Assim, espera-se que este amplificador seja significativamente mais potente e também mais eficiente que o Monoblocus original.

11/03/12

Série "Overture" da National Semiconductor

A série "Overture" é uma gama de integrados da National Semiconductor para aplicações de áudio de alta-fidelidade. Esta série é conhecida pelos seus amplificadores de potência, todos eles com excelentes características sonoras. Destes integrados, os mais usados são o LM3875, o LM3876, o LM3886 e o LM4780. São preferidos pelas suas características sonoras excepcionais e por terem excelente protecção térmica e contra curto-circuitos (protecção "SPiKe").

Integrados LM3875, LM3876, LM3886 e LM4780.

LM3875:
Dos quatro integrados, o LM3875 é o mais fácil de implementar, pois tem apenas cinco pinos activos e requer poucos componentes externos. É capaz de fornecer até 56W a cargas de 8 ohms, sendo a sua potência de pico de 100W. A distorção harmónica ronda os 0,06% e o rácio sinal/ruído é superior a 95dB.

LM3876:
O LM3876 têm exactamente as mesmas características sonoras que o LM3875, com a diferença de ter uma funcionalidade de mute. Devido a esta característica, o LM3876 tem sete pinos activos e a sua pinagem é um pouco mais complexa do que a do integrado anterior.

LM3886:
Sendo mais eficiente que o LM3876, o LM3886 é capaz de fornecer até 68W a cargas de 4 ohms e até 50W a cargas de 8 ohms, sendo a sua potência de pico de 135W. A distorção harmónica é de apenas 0,03% e o rácio sinal/ruído é superior a 92dB. Tal como o LM3876, tem uma funcionalidade de mute. Tendo oito pinos activos, a sua pinagem é algo complexa.

LM4780:
O LM4780 equivale a dois integrados LM3886 no mesmo encapsulamento. Cada canal é capaz de fornecer até 60W a cargas de 8 ohms. A distorção harmónica ronda os 0,03% e o rácio sinal/ruído é superior a 97dB. Cada canal tem a sua função de mute. A grande vantagem do LM4780 é que possibilita construir um amplificador de 120W, utilizando topologia em ponte ou em paralelo, com apenas um integrado. No entanto, o encapsulamento relativamente pequeno deste integrado não facilita a transferência de calor para o dissipador. A sua pinagem complexa, com 20 pinos activos, torna este integrado difícil de implementar.

04/03/12

Mais testes relativos ao projecto "Monoblocus"

Há mês e meio atrás decidi construir a placa de circuito impresso do amplificador Monoblocus, por mera descarga de consciência. Sabia de antemão que o amplificador iria funcionar, mas precisava de verificar se não haveria problemas relacionados com o layout da placa. Tendo terminado a mesma ontem, hoje fiz os testes.

Placa do Monoblocus em teste.

Utilizei um transformador convencional de 15-0-15V~ (toma central) e de 75VA para alimentar o circuito. Como carga, utilizei um altifalante Visaton FR 10 de 4 ohms. A placa teve o comportamento esperado em todos os testes. O som produzido apresentou-se límpido e sem qualquer distorção. Confirmei também o bom funcionamento do circuito de muting: sem afectar a qualidade de som durante o normal funcionamento do circuito, actuava rapidamente sempre que a energia era cortada.

24/01/12

Kit Velleman MK118 - Rádio FM

Divertido de montar e de experimentar, é como descrevo este kit fantástico da Velleman. O MK118 é um rádio FM bastante simples, com controles para sintonia e volume.

Kit Velleman MK118 montado.

O kit é baseado no integrado TDA120U da Philips, que é basicamente um desmodulador de FM. Um segundo integrado, o LM386, amplifica o sinal de áudio para o altifalante. Embora este kit seja relativamente fácil de montar, há que tomar algumas precauções. O circuito blindado de bobinas incluído no kit já vem ajustado de fábrica e não deve ser reajustado. Além disso sugiro guardar todo o fio fornecido para a antena e utilizar outro fio para fazer as ligações ao altifalante. Se seguir estas recomendações, construirá um rádio com uma qualidade razoável e com uma recepção bastante boa.

07/01/12

PSU Designer II

PSU Designer II é uma ferramenta da Duncan Amplification para auxiliar no cálculo de fontes de alimentação para amplificadores. Embora especialmente vocacionada para amplificadores a válvulas, esta ferramenta pode ser utilizada no cálculo de fontes de alimentação lineares para outros fins. Peca, no entanto, por não contemplar fontes de alimentação simétricas.

PSU Designer II com simulação a correr.

A imagem acima mostra este software em utilização. O circuito simulado representa a fonte de alimentação do amplificador Monoblocus. Uma vez que este software não prevê simulação de fontes de alimentação simétricas (como a do Monoblocus), o circuito foi adaptado tendo em conta que a carga é balanceada. É uma maneira eficaz de contornar o problema.

Links:
Duncan's Amp Pages: http://www.duncanamps.com/
PSU Designer II: http://www.duncanamps.com/psud2/index.html

04/01/12

Migração do YouTube para o Vimeo

Uma vez que a qualidade de serviço do YouTube tem vindo a diminuir, decidi mover os meus vídeos para o Vimeo. O novo canal já está disponível e pode ser consultado através do seguinte endereço: http://vimeo.com/channels/diytronics.

O canal no YouTube será apagado em breve, possivelmente no espaço de uma semana.